fbpx

Como Camaçari (BA) e Niquelândia (GO) reorganizaram suas redes de Educação durante a pandemia?

 

Pela terceira vez, o Webinar PVE dá espaço de fala aos secretários de Educação do municípios do programa, compartilhando suas experiências e ações desenvolvidas pela rede em meio à pandemia de covid-19. Na manhã desta sexta-feira (5), os convidados foram Neurilene Martins Ribeiro, de Camaçari (BA), e Wesley Campos Gomes Soares, de Niquelândia (GO). As duas cidades vivem realidades diferentes na educação mas enfrentam o mesmo cenário: aulas presenciais paralisadas em função do coronavírus.

 

Em Niquelândia, a suspensão das aulas presenciais aconteceu ainda no meio de março e a rede decidiu optar aguardar o final daquele mês para decidir o curso da educação municipal durante a pandemia. Logo optaram por aulas a distância, usando o WhatsApp como meio de comunicação com os alunos. Wesley conta que tem alunos na rede que sobem o morro da cidade, que é principalmente rural, para obter sinal de internet e receber as atividades pelo WhatsApp.

 

— O celular era o grande vilão da sala de aula, agora é uma ferramenta de trabalho muito apreciada pelos professores — conta Wesley.

 

Leia também: Almirante Tamandaré (PR) e Caçu (GO), duas realidades e uma mesma lição: trabalho em conjunto

 

Para contornar a falta de acesso à internet, o município está entregando atividades impressas nas casas dos alunos, seja de moto, carro, e envolvendo até a patrulha da polícia militar da zona rural na entrega dos materiais, favorecendo a intersetorialidade no município. O secretário prevê que continuarão sem aulas presenciais no mês de junho, pelo menos. 

 

Para os professores, a secretaria investiu em um canal no YouTube e produziu tutoriais para download de aplicativos e até processos da própria secretaria, como o preenchimento dos diários de classe. Acesse aqui o site da Secretaria Municipal de Niquelândia.

 

Leia também: Como Ibirama (SC) e Limeira (SP), municípios do PVE, estão lidando com a pandemia?

 

Em Camaçari, a intersetorialidade também foi a chave para o trabalho da secretaria de Educação. Para eles, a prioridade foi a distribuição da merenda escolar para a comunidade. Pelas próprias estatísticas do município, já analisaram que as condições dos estudantes seria muito diferente durante o distanciamento social. Começaram, em abril, a distribuir um vale-merenda todos os meses enquanto a pandemia durasse. O valor é de R$ 45 para famílias com uma criança e aumenta proporcionalmente conforme a quantidade de filhos. Os cuidadores retiram esse vale quando vão buscar as atividades impressas na escola.

 

— Os pais levam a escola nas mãos para casa, com atividades e alimento. É uma dimensão maior da escola. A mãe chega em casa e pode dizer: “meu filho, olha o que a escola mandou para você!” — reflete a professora.

 

 

Materiais deste webinar:

— Assista à videoconferência completa: clique aqui

— Acesse o material apresentado por Camaçari: clique aqui

 

O PVE continua promovendo webinars abertos ao público para ajudar gestores durante a pandemia de Covid-19. Na segunda-feira (8), Carlos Sanches recebe Anna Helena Altenfelder, presidente do conselho de administração do Cenpec, para falar sobre a escuta como estratégia de construção coletiva e colaborativa durante a pandemia de Covid-19. Acompanhe, ao vivo, a partir das 10h.  Inscreva-se neste webinar e confira a programação da semana aqui.